A importância de se ter reputação

Quando penso em reputação, as primeiras imagens que me vêm à cabeça são dos salões de baile na corte do Luis XIV e dos tempos em que a reputação de uma donzela podia ser arruinada com um simples boato.

O que é que isto tem a ver com marketing pessoal?
well-behaved women rarely make history

Provavelmente nada.
Mas saiamos da corte de Versailles e entremos nos dias de hoje.

Vamos considerar a reputação não enquanto honra ou virgindade, mas enquanto "fama, renome, opinião pública favorável ou desfavorável" ligadas ao desempenho profissional.

Existe um ciclo, no qual é praticamente impossível determinar o que veio primeiro:

A reputação gera confiança, que desperta atenção que, por sua vez leva à execução de novos projectos/serviços que contribuem para o fortalecimento da reputação.

Desengane-se quem ainda acha que o marketing tem a ver com iludir os clientes com uma embalagem muito bonita e brilhante. Se não houver entrega do serviço que se espera com a qualidade expectada, o ciclo mantém-se mas na negativa. E aí sim, os boatos no salão de baile não vão ajudar nada, porque se irão comprovar como verdadeiros.

the key for getting a reputation for being brilliant

Naturalmente que qualquer pessoa pode apregoar aos 7 ventos que faz isto ou aquilo, e o risco fica sempre do lado de quem contrata os serviços de quem apregoa.
O que nos leva ao sumo da questão: tão importante como a reputação é a capacidade que temos de comprovar aquilo que prometemos fazer.

Isto faz-se de várias maneiras:
não com uma lista interminável de competências num CV qualquer, mas com a demonstração dessas mesmas competências, aplicando-as na

Aqui o ditado quase que vira ao contrário:

Que outras formas existem de dar provas da nossa reputação?
Diga-nos nos comentários!
E obrigada por partilhar este post :)


Sem comentários:

Enviar um comentário