Ser artista e vender: conselhos

Somos todos artistas, não?
Poética e metaforicamente, quanto mais não seja, gosto de imaginar que sim.
Que todos temos uma veia artística que nos leva a criar "coisas" bonitas, úteis, agradáveis, que fazem os outros pensar, desconfortáveis, com propósito.
Mantendo o modo poético, gosto também de pensar que esta veia artística não se limita a pintar, escrever, esculpir ou compor.
Gosto do conceito de arte em sentido alargado àquilo que é feito com paixão e intenção de melhorar, ajudar ou provocar, seja uma escultura ou um bolo de cenoura.

Esta epifania veio ao consultar um artigo no site deste senhor - Jonathan Fields, mentor do Good Life Project.

Uma das últimas entrevistas que ele realizou foi precisamente com uma artista de São Francisco que tem uma preocupação genuína: ajudar os artistas a descobrir formas de ganhar dinheiro com a sua arte.

Parece que todos temos que comer e andar vestidos e os deuses da inspiração, por si só, não conseguem colmatar todas as necessidades humanas.
Daí a quase obrigação que os artistas têm (ou precisam de ter) em tornar a sua expressão artística em algo rentável/sustentável.

Aqui ficam alguns dos conselhos desta senhora - Lisa Congdon, também ela artista - expressos no seu livro "Art, Inc." (tradução livre e nada influenciada: Arte, Marca Registada).



Como todos somos artistas, creio que estes conselhos se podem aplicar à vida de todos nós artistas-profissionais-freelancers-contabilistas-fotógrafos-psicólogos-designers-..., ou seja, todos os que precisamos de uns pingos de criatividade para colorir este dia-a-dia:

1. Descobre a tua Voz
A Voz do artista é uma mistura de mensagem, estilo e técnica e é a sua oportunidade de marcar o Mundo.
Todos temos diferentes formas de encontrar a nossa Voz. 
Infelizmente não é nada que se possa aprender lendo um livro ou frequentando um workshop.
Pode ser uma descoberta que demora uma vida, um processo contínuo de descoberta e reinvenção, que se vai alterando ao longo do tempo.

2. Cria Arte para Ti Próprio
Há uma noção errada de que existe uma "maneira correcta" de pintar um quadro, tirar uma fotografia, escrever um artigo... de que existe um modelo e processo correctos que devem ser seguidos por todos.
É bastante libertador começar a produzir trabalhos que reflectem a tua própria identidade e estética e não a identidade do teu mestre ou colegas.

3. Arrisca
Pode parecer assustador, mas fazer algo de diferente (por muito pequena que seja essa diferença) pode abrir novas avenidas para o teu trabalho. Usa cores diferentes, muda de estilo narrativo, ...
O resultado destes riscos será o que vai diferenciar o teu trabalho.


4. Ultrapassa as Dificuldades
A famosa "curva de aprendizagem" existe para todas as áreas e se tivermos a sorte de andar constantemente a aprender, então é melhor que nos habituemos a surfar essa onda.
Ultrapassar as dificuldades ajuda ao aperfeiçoamento da técnica e à descoberta da própria voz.

5. Descobre o que te Inspira
A inspiração nem sempre aparece do nada.
Às vezes é preciso ir à procura dela! 
E a inspiração normalmente está escondida nas coisas que gostamos de fazer, mesmo que não tenham nada a ver com o nosso trabalho "artístico".
Para ultrapassar as ansiedades e ajudar a descobrir o que impulsiona o teu interesse ajuda andar de diário no bolso: algo portátil, fácil de carregar de um lado para o outro, onde podes escrever, desenhar tudo o que te apeteça/mexa contigo/te inspire.
Mais uma vez, a forma não é importante: não interessa se tem linhas, se é quadrículado, se a capa é cor de rosa ou se as folhas têm cheirinho a maçã. Interessa ser usado todos os dias, durante o tempo que tiveres disponível, seja 5 minutos ou 1 hora.

6. Faz uma Pausa da Internet - a minha preferida!
São tantas as distrações e é tão fácil o acesso.
É um excelente sítio para divulgar e vender trabalho, mas também pode levar a que nos comparemos em exagero com outros artistas.
Despertamos o crítico dentro do cérebro e lá se vai a produção e a auto-confiança.
Também acho que podemos encontrar inspiração na internet, mas procurá-la fora da web é tão mais interessante...!

7. Separa-te do trabalho de outros Artistas
Para esculpir a tua Voz Artística é preciso que te afastes do que achas que é um "trabalho de sucesso".
Sem esta separação, corre-se o risco de copiar em vez de criar algo que seja genuinamente novo e nosso.
Mais uma vez: desliga a internet. É fácil ser apanhado no burburinho das redes sociais e expectativas e influências exteriores.
De vez em quando, desliga e ouve o teu guia interior.
Passa a conhecer o teu âmago, o que te inspira e impulsiona a tua criatividade.

Bom trabalho!

4 comentários:

  1. Muito útil!
    Grata! :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo comentário Isaura!
    Fico muito feliz que tenha encontrado utilidade nestes conteúdos :)
    Até uma próxima!

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Óptimo William! Obrigada pelo feedback e ficamos muito felizes por poder ajudar de alguma forma :) Força aí!

      Eliminar