A Importância de Retribuir

Ontem estava a ler um artigo que falava da importância de retribuir e como isso daria propósito à nossa marca pessoal.

Eu, graças a quem sou e ao contexto em que cresci, considero que dar de volta ao mundo, à sociedade e às pessoas que nos rodeiam, deve fazer parte de cada um de nós. Devia ser uma obrigação não obrigada, ou seja, algo que todos deveriamos fazer sem nos sentirmos obrigados a isso. Algo natural. Como respirar.

E as vozes críticas que se levantem a reclamar que "ainda há uns dias escreveste um artigo sobre a chatice que é trabalhar de graça", a elas tenho, mais uma vez que explicar, que uma coisa não tem nada a ver com a outra. O nosso trabalho que é feito e bem-feito, com esforço, com tempo e dedicação, deve ser recompensado. O que não invalida que se crie espaço e tempo para dar a quem não pode pagar e merece receber.

Eis senão quando, o Universo, sempre atento a estas coisas, faz com que me chegue à caixa de correio do Gmail, através de uma mão amiga que não vejo há anos, o seguinte vídeo, que nesta manhã de sol bem disposta, me fez ir às lágrimas.

Não acho que seja o anúncio mais chocante do mundo.
Acho que é uma importante lição e um exemplo muito bem ilustrado sobre a importância de dar ao mundo, à sociedade e às pessoas que nos rodeiam; sobre a imporância de mostrar que as marcas pessoais não são feitas de plástico, mas de calor humano e que dar só faz bem.

Bom karma para tod@s!

Sem comentários:

Enviar um comentário