Desabafo: Estudantes ou a Arte de Desperdiçar Oportunidades

Hoje estou um bocado irritada. Daí a necessidade do desabafo.

Ontem, por acaso, vi um vídeo onde se falava da calamidade do desemprego jovem, das percentagens elevadíssimas nos países europeus de jovens que terminam os cursos e que não encontram emprego.

Paradoxalmente, há uns meses ouvi o presidente de uma grande empresa na área da restauração a queixar-se que o seu principal problema era com o recrutamento de recursos humanos qualificados. Ao ponto de terem criado uma Academia dentro da empresa, pela qual passam todos os recém-contratados, e ao ponto de terem que recorrer a países estrangeiros para cumprir com as suas necessidades de recrutamento.

Não faz sentido que estas duas realidades existam num mesmo país.

Hoje tive outro fantástico exemplo que me faz trepar pelas paredes.
Rumei até Coimbra, da chuva para o sol, para participar na Semana da Carreira de uma Faculdade. A iniciativa contava com um workshop de imagem e marketing pessoal, análise individualizada de currículos, simulações de entrevistas, entre outras coisas. A minha era a primeira acção do dia.
Quantas pessoas apareceram? 0
Quantas pessoas apareceram à revisão de CVs agendada para a manhã? Zero.
Antevendo que os números se repetiriam da parte da tarde, as iniciativas foram canceladas, naturalmente.

É isto que não percebo e que me irrita: a presença nos workshops era gratuita, os estudantes não teriam falta se fossem às sessões em vez das aulas e no período da primeira sessão, nem havia qualquer aula a decorrer. O evento foi divulgado pela base de contactos dos estudantes, pelo facebook, pessoalmente, pelos sites, pelos professores...

Porque motivo é que as pessoas não comparecem a um evento que pretende beneficiar a sua carreira? Porque é que os alunos que estão prestes a terminar o curso e a ingressar no mercado de trabalho arriscam realizar erros crassos na sua procura de emprego, erros esses que poderiam ser evitados? Bastaria ouvir a opinião e os concelhos de quem percebe alguma coisa sobre esta área. E não estou a falar de mim, havia lá outros especialistas com muito mais currículo do que eu.

Eu sou proactiva e acho que sempre fui.
Apesar de ter um curso em Comunicação Social que nunca foi garantia de saídas profissionais para ninguém, nunca tive problemas em arranjar estágios ou empregos. Porque fazia e não ficava no sofá em modo queixa.

Custa-me ver oportunidades a ser desperdiçadas, principalmente quando vêm acompanhadas por queixumes individuais e nacionais de crise, falta disto e falta daquilo.

Não digo que este desabafo se aplique a toda a gente.
Tenho a certeza que há excepções e excelentes exemplos doa quais nos orgulhamos e ajudamos a divulgar. 

Mas também há muito comodismo e preguiça.
Zero participantes!
E lá vim eu de Coimbra, acompanhada por um sol excelente!

E vocês que acham? Manifestem-se estudantes. É a vossa oportunidade! Mais uma…

Sem comentários:

Enviar um comentário